FOTOGRAFIA

1/3

Desafios, curiosidades e fofuras das fotografias newborn

 ALESSANDRO MOURA

  

Esse ensaio fotográfico é realizado quando o recém-nascido tem até 15 dias de vida e tudo deve ser feito de forma a dar conforto e segurança

 

Nas paredes o porta retrato guarda o momento eternizado de um dia feliz que merece ser lembrado, por essa e as gerações que hão de vir. No álbum as revelações de outros tempos. Antes do menino ter barba ou até dar o primeiro beijo.

Esse universo mágico que eterniza pequenos fragmentos do tempo em pedaços de papel nunca deixa de encantar. É que a gente não quer se esquecer de nada. Do primeiro passo, do olhar e através das mãos sentir a alegria que passou. Com os olhos tocar o invisível e lá no fundo compreender o olhar daquele que marcou o registro: o fotógrafo.

Sim, esse profissional está nos cliques mais generosos e será lembrado a cada sorriso ou lágrima derramada sob o álbum. O tempo vai passar, mas de uma forma ou de outra ele estará presente.

 

As luzes, sombras e cores seduziram a carioca Mel Paes desde os tempos de criança. Ela se lembra de se ver envolvida com arte e imagens ainda pequenina. A fotógrafa que mora no Catete acredita que a fotografia é responsável por eternizar aquele instante, um determinado segundo, que jamais voltará a se repetir. E ela tem um trabalho árduo, porém com a delicadeza que muitos sonham no cotidiano.

Com especialização em fotografia de família desde 2011, Mel registra imagens de recém-nascidos, o trabalho é chamado no segmento pela expressão newborn.  Pode até parecer fácil, mas na verdade são fotos desafiadoras.

“Cada bebê é um bebê diferente; eles devem estar dormindo nessa sessão; e devem ter até 15 dias de vida.”, conta a carioca.

Para isso foi preciso, além de dedicação e talento, muito estudo. Mel possui formação internacional em fotografia de recém-nascidos, além de conhecimentos técnicos sobre fisiologia de bebês e comportamento infantil. Sua experiência com crianças e seu olhar fotográfico para o cotidiano familiar crescem a partir do seu dia-a-dia com a própria família. E nem sempre a rotina do estúdio é só na base das fofuras.

“O bebê recém-nascido sempre faz xixi ou cocô em mim, durante a fotografia, porque essas fotos são feitas com o bebê peladinho”, revela.

As histórias são muitas, e com bebês não tem como a gente não se divertir. Afinal de contas, tudo é descoberta.

“A história mais engraçada foi quando um bebê fez cocô enquanto estava deitadinho no pufe para as fotos, e o bebê atingiu o pai, que estava quase do outro lado da sala de fotografia. Em seguida o bebê sorriu e eu continuei tirando as fotos daquela sequência, sabendo que depois eu teria trabalho para limpar o cocô no photoshop”, diverte-se.

Mas é preciso ter cuidado na hora de escolher o profissional para fazer a sessão. Mel faz o alerta aos pais.

“Ao trabalhar com fotografia de bebês, seja um recém-nascido, um bebê de 3 meses ou de 1 ano, o cuidado mais importante é a higiene. Álcool gel é a regra. A fotografia de recém-nascido deve ser feita por profissional capacitado e exige muitos cuidados (principalmente de higiene) e segurança. Na dúvida, procure um fotógrafo através da ABFRN (Associação Brasileira de Fotógrafos de Recém-Nascidos)”.

E como aquele momento não vai se repetir, vale dar uma pesquisada no portfólio e no que outros clientes falam sobre o profissional. Aquela velha história de que em muitos casos o barato demais pode sair caro. A fotografia de bebes geralmente tem um preço mais alto, até porque o grau de exigência é superior.

“Os acessórios usados no bebê são caros, porque não podemos usar qualquer acessório, tudo que toca o bebê deve ser lavado - custo com lavagem é alto, temos que usar produtos específicos, o estúdio deve ser impecavelmente limpo, os cursos de formação são caros e distantes do Rio de Janeiro, os equipamentos são caros e também devem ser higienizados com frequência”, explica a profissional.

Com um currículo vasto e lindos registros, Mel ainda tem um sonho: fotografar recém-nascidos gêmeos. Enquanto o momento não chega, a fotógrafa carioca segue fazendo poesia com imagens.

 

Mel Paes

Telefone: (21) 98187-1014 / 3437-1873